http://www.vipertechnology.com.br/noticias/riodejaneiro/baixadafluminense/07/09/2016/pacientes-aguardam-atendimento-debaixo-de-buracos-e-no-chao-do-hospital-geral-de-nova-iguacu/

Pacientes aguardam atendimento debaixo de buracos e no chão do Hospital Geral de Nova Iguaçu.

Segurança ameaça, chama paciente de “mariquinha” e filho do Prefeito elogia atendimento do Hospital. Jornalista foi coagido e convidado a depor na Delegacia.

Foto: Alex Bruno / ViperTechnology.Com.Br
Foto: Alex Bruno / ViperTechnology.Com.Br

Pacientes que aguardavam atendimento na área de emergência do Hospital Geral de Nova Iguaçu reclamam do descaso e atraso no atendimento, também denunciam a precariedade no setor.

Foto: ViperTechnology.Com.Br
Foto: ViperTechnology.Com.Br

Questionado, um suposto médico (profissional sem identificação) surtou após declarar que as UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) estavam fechadas e o Hospital estaria lotado. Segundo o suposto médico, naquele momento estaria acontecendo quatro cirurgias. Duas crianças e dois baleados estariam sendo operados.

O Repórter Alex Bruno que estava em trabalho de pesquisa de qualidade nos atendimentos Hospitalares do Estado do Rio, com uma câmera escondida flagrou pacientes sentados no chão, debaixo de teto quebrado enquanto aguardava atendimento. Flagrou também uma suposta médica (profissional sem identificação) colocando uma “caixa de papelão” no chão após ter visto uma paciente deitada na maca com hemorragia nasal.

Uma senhora de 73 anos, chamou nossa atenção. Segundo sua filha, ela estaria a quase 48 horas aguardando um atendimento adequado. No primeiro, ela teria recebido alta mesmo com fortes dores nos ossos e problemas respiratórios.

Vendo toda essa situação, nosso Repórter decidiu se identificar e começar a gravar abertamente dentro da área de emergência. Foi quando um segurança do Hospital começou a coagi-lo, tentando proibir as gravações. O mesmo chamou a Policia Militar de plantão no Hospital para que retirasse do local, nosso Repórter.

Foto: ViperTechnology.Com.Br
Foto: ViperTechnology.Com.Br

Minutos depois, o mesmo suposto médico que surtou, tomou posse da identificação (crachá) do nosso Repórter. Após ter tirado cópias do documento e enviado via WhatsApp para um local desconhecido, entregou o documento ao mesmo segurança que coagiu Alex Bruno; esse repetiu o processo de copiar e enviar via WhatsApp para um destinatário ainda não identificado. Cobrado a devolução de um documento de identidade que teve sua apropriação indébita, se negou e repassou a posse do documento a um Policial Militar. Mesmo sem ter cometido crime, ambos afirmaram que Alex Bruno estava sendo convidado a depor na 58ºDP (Delegacia de Policia) também na Posse.

Esse fato ocorreu no dia 13 de Julho de 2016 e as imagens só foram exibidas agora porque nossa equipe não havia terminado a pesquisa de qualidade nos atendimentos dos Hospitais do Rio.

Na madrugada de segunda-feira do dia 29 de Agosto, no mesmo Hospital um rapaz de aproximadamente 19 anos que pediu para não ser identificado, discutiu com um funcionário que se alterou após perceber que estava sendo filmado. Segundo o rapaz, o mesmo estaria se negando a prestar atendimento caso ele não deixasse de ser “mariquinha”.

No dia 4 de Setembro, o Prefeito de Nova Iguaçu Nelson Bornier (PMDB), foi levado às pressas para esse mesmo Hospital. Segundo seu filho, Nelson teria sofrido um acidente durante uma caminhada de campanha no Bairro Corumbá. O mesmo elogiou o atendimento dos socorristas e exaltou positivamente o atendimento do Hospital da Posse.

REDE SOCIAL VIPER TECHNOLOGY